quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

MARCO LLOBUS


Marco Llobus é poeta, escritor, pesquisador e tem 37 anos. Concedeu esta entrevista ao blog Sociedade Mutuante em 08/12/2008.


QUAL VERTENTE ARTÍSTICA SEGUE? ALÉM DESTE SEGMENTO, HÁ OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS QUE GOSTARIA DE EXPERIMENTAR?
Tenho me emprenhado gradativamente em várias manifestações artísticas – com passagens pelas artes visuais (pintura, escultura, instalações e intervenções), no campo sonoro (experimentações e a música), fotografia e artes cênicas. Mas é palavra o principal veiculo que utilizo.

Por vezes busco na mescla das nuances dessas várias manifestações, atingir o belo e o profundo. Nem sempre, sou bem sucedido. Mas como não tenho mais escolha, sigo a vida.

Tem muitas manifestações que gostaria de experimentar, mas como consegui compreender que arte esta fora do tempo ordinário; então, não tenho mais presa, o que vier, será feito com muita calma. E com tempo. Assim espero.


POSSUI TRABALHOS PUBLICADOS? QUAIS?
No papel participei de várias antologias e revistas, principalmente na poesia. Na internet, criei os DESCLASSIFICADOS (Pôster virtuais de poesias – estudo sobre a imagem e meus poemas), HUS MANOS (Pôster virtuais – pesquisa fotográfica contendo a fala de mestres da cultura popular de Minas), HAS MANAS (Pôster virtuais – pesquisa fotográfica contendo a fala de mestras da cultura popular de Minas), POETUS (Pôster virtuais – pesquisa fotográfica sobre os poetas homens e seus poemas) e POIETIS(A) - (Pôster virtuais – pesquisa fotográfica sobre os poetas mulheres e seus poemas)


QUANDO COMEÇOU A SE ENVOLVER COM ARTE?
97 para 98. Tinha 26 anos.


PODERIA RELATAR DE FORMA SIMPLIFICADA UM DIVISOR DE ÁGUAS EM SUA CARREIRA?
Aos 26 anos, senti um vazio e um deslocamento em minha existência (uma crise de identidade e de tudo) e não sabia o que era. Um dia lendo Hesse, intuí que o que faltava na minha vida - já muito rica de aventuras – era arte. E graças a deus (ou deuses) ela me encontrou. Comecei pela música e pelos caminhos mágicos do sonho, descobri as letras.


INFLUÊNCIAS E/OU PREDILEÇÕES?
Tudo influencia - Tem muita coisa e muita gente... Muita gente mesmo. Os humanistas Europeus, a Pajelança, o universo oriental - taoísmo, sufismo, a afro brasilidade (manifestações populares), a cultura popular – citando nomes: Gandhi, Piva, Cecília Meirelles, Pollock, Saint-Exupéri, Sabino, Modigliani, a obra de Carlos Castañeda, Bach, Picasso, Sigur Rós, Os Modernistas, Johann Jóhannsson, Babilak, Led Zeppelin, Rogério Salgado, Guimarães Rosa, Pink Floyd, Ermeto, Wal de Souza, Henfil, Dali, Richard Bach, Davi Alexandre, Juan Ramón Jiménez, Neruda, Gilberto Mauro, Hans Zimmer, Raul Bopp, Autran Dourado, Goethe, Célio Guiga, Garcia-Marques, Seu Ribeiro, Sebastião Salgado, Secos e Molhados, Zé Márcio Barros, Raulzito, Mestre Orlando, Daniel Porto, Zé Ramalho, Jair Barbosa, Tiago Criança, Clevane Pessoa, Mestre Thibau, Wilmar Silva, Ailton Krenak, Larama, Luciano Nunes, Vinicius de Carvalho, Wilton Vinicius, Fernando Fabrini, Neuza Ladeira, Madre Tereza de Calcutá, Kafka, Priscila Borges... Tem um monte que estou esquecendo. E Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo e para sempre seja louvado e viva todas as Nossas Senhoras, Também. Amém.


UM MOMENTO MARCANTE EM SUA TRAJETÓRIA?
A criação e participação do Sarau de Poesia da Lagoa do Nado.


QUAL É A SUA FORMAÇÃO? EM QUE MEDIDA ESTA INFLUENCIOU SUA TRAJETÓRIA ARTÍSTICA?
Fiz muitos cursos, oficinas em várias áreas das artes. Mas nunca busquei uma formação tipo acadêmica. Prefiro a experimentação e vivenciar os desenvolvimentos e descobrimentos de técnicas próprias. Sempre tive uma preocupação de não me tornar um repetidor de técnicas – sempre busquei um traço original, espontâneo e próprio.


DE QUE MANEIRA SE DESENVOLVE O PROCESSO DE PESQUISA E DE CRIAÇÃO DE TRABALHOS COMO “HUS MANO”, “POETUS” e “POIETIS(A)”?
Lá Glauber. Uma câmera na mão e uma idéia na cabeça.
A idéia sempre foi de promover relações de confiança (amizade), e coletar o belo e o profundo em cada momento retratado.


QUAL É A PROPOSTA DO JORNAL “DESCLASSIFICADOS”?
Ensaios na busca de fusão entre a palavra e a imagem. Ainda não consegui o que quero deste trabalho. Por um instante quase vislumbrei...


QUAIS SÃO OS SEUS PLANOS FUTUROS?
Futuro próximo 2009 – Publicar os 04 livros de poesias que já estão prontos. Também, os outros 06 livretos de poesias. Lançar – O Livro, pesquisa, documentário e Espetáculo - “Memorial Família Guiga” onde sou produtor e um dos pesquisadores. Ação desenvolvida com meu “irmão” Celinho Guiga. Lançar o livro álbum – Poietis(a) – Pesquisa sobre a vida e obra das poetisas de Belo Horizonte. Ação desenvolvida com a flor e poeta Clevane Pessoa. E tem mais uma pá de coisas, alguns documentários (sarau da lagoa), voltar a pintar, expor os trabalhos já feitos (Desclassificados, poetus e etc.), elaborar mais alguns projetos para leis de incentivo e retomar alguns projeto que engavetados. Enfim, trabalhar duro para realizar o máximo de coisas.

2 comentários:

filtrodesonsesonhos disse...

Marco Llobus é todo ele, emoção,veracidade, cordifraternidade, poesia e arte.
Tenho um grande orgulho em er sua amiga e quando trocamos idpeias, as estrelas ouvem, oa pássaros trinam e as águas esciorrem cada vez mais claras,
Todo o sucesso do mundo ao amigo e congratulações ao Mutuantes por essa entrevista consistente , leve e forte ao mesmo tempo.
Agradeço ao Llobus por citar-me duas vezes .Uma alegria, uma honra.

Clevane Pessoa de Araújo Lopes

hana haruko disse...

Ops, não posso corrigir acima, então, aqui vão as corrigendas de digitação...Desculpem!

filtrodesonsesonhos disse...
Marco Llobus é todo ele, emoção,veracidade, cordifraternidade, poesia e arte.
Tenho um grande orgulho em ser sua amiga e quando trocamos ideias, as estrelas ouvem, os pássaros trinam e as águas escorrem cada vez mais clara.
Todo o sucesso do mundo ao amigo e congratulações ao Mutuantes por essa entrevista consistente , leve e forte ao mesmo tempo.
Agradeço ao Llobus por citar-me duas vezes .Uma alegria, uma honra.

Clevane Pessoa de Araújo Lopes